21 de nov de 2007

UMA MÃO NA CINTURA


um momento intemporal
reside na mão que acaricia
uma cintura, delgada
um suspiro, um desejo
intemporal nos teus olhos
quando me fitam
os lábios harpejam sons
de beijos imaginados
intemporais
a delicadeza da tua pele
desliza nos meus olhos
vermelhos de cansaço
noites de viagens à lua
que vão desde a varanda
do meu quarto
até uma cratera qualquer
assinalada
no teu corpo

Atit Ordep

Nenhum comentário: