24 de fev de 2009

TODOS OS DIAS


todos os dias te imagino
do meu lado
nas tardes mornas de Outono
aconchego-te o meu corpo ao teu
e na tua mão entrelaço os meus dedos
para que não fujas
não me vá dar a modorra
por cheirar a alfazema do teu cabelo

todos os dias te imagino
sorridente e distraída ao acordar
abrindo a janela do quarto
voltando para a cama
onde fazes um número de magia
desaparecendo por debaixo dos lençóis

todos os dias te imagino
verdadeira e inteira
como uma mulher a sério
quando vestes as roupas
que tanto trabalho me deram a tirar
e fico a ver-te correr para a rua
onde te afastas e perdes na multidão

todos os dias te imagino
como se ainda fosse possível
alguém vencer a morte da memória

todos os dias me imagino só
para isso seja apenas a minha imaginação

Atit Ordep

Foto de Ricardo Jorge Miguel Soares

Um comentário:

Aqui - Ali - Acolá disse...

Grande Balsamo que existe aqui neste blog, poesia de rachar corações, grande equipe está aqui, parabéns a todos que aqui colaboram nesta obra prima.