6 de mar de 2009

PESADELO



Ando pelas ruas,

escorrego no sangue das sarjetas

estou confusa, não sei mais nada

este sangue será meu,

será dos mortos, será teu?

estou andando a toa,

em círculos, sem rumo

procuro por uma mão amiga

nada encontro a não ser

mortos-vivos, pedaços de gente

corpos sem corações, sem emoções

será que o mundo acabou

e eu não percebi,

será que morri, e não me dei conta?

Onde será que estou,

cadê as mãos estendidas

cadê você, cadê ele?

Porque ninguém responde,

porque este silêncio que dói

socorro, alguém me ajude

me acorde, me tire deste

pesadelo, aqui nada é real.

.
Ferina*izil*

Um comentário:

Juan disse...

Izil

Un poco pesaroso
un sueño atroz
camina sin miedo
el amor, el amor
está en nuestro corazón
y la mano amiga
sigue extendida
para que jamás camines sola.

Un abrazo.

Juan Antonio