1 de ago de 2011

ABANDONADA


Quantas vezes me vi
em ambientes sem janelas,
cujas portas não abriam...

quantas vezes eu vi
altos muros, grades, trancas,

a me rodearem...
quantas vezes faltou-me
a força, o ar,

sobrou o medo...

Quantas vezes
ainda me vejo sozinha...

.

Suely Ribella ©

Nenhum comentário: