11 de ago de 2009

QUANDO ELE FOI EMBORA




Ela mandou te dizer:

Da distância veio o esquecimento
e as estradas partiram-se em caminhos Em que a saudade já não foi refúgio E aqueles tantos sentimentos confusos Esvaziaram-se do peito como um balão Como uma festa que acabou E estouraram as bexigas, apagaram as velas, despedidas, abraços e beijos

Mas assim como eu vi:


Doeu, dor aguda, lenta, preguiçosa
Ela disse, a dor não vai embora Como sentimento em forma de gente Um diário aberto de traz pra frente Diria que ela te amou sem culpa Somente com receios da existência De tamanha pureza, lenço e dor.


(Ferina*KarolinaB)

Um comentário:

Shanty disse...

Precioso blog, como siempre. Traté de entender tu poesía, pero el "translate" no funciona 100%, me perdí de mucho.

Un gusto volver. Besos.