31 de ago de 2010

DEPOIS DOS TEMPOS VÊM TEMPOS


num espaço no tempo
reside inerte o próprio tempo

o tempo do amor
o tempo dos sonhos
o tempo dos carinhos

tempo esse que permanece imóvel
dentro do seu próprio tempo
congelado na ingenuidade de uma criança

fora de tempo
foi perdida a virgindade
das ideias grandes e magnificentes

foi uma perda de tempo
dirás tu
mas foi um tempo com
amor, sonhos e carinhos

atrás dos tempos vêm outros tempos
digo eu

e um desses tempos será o meu

Atit Ordep

Foto de Ricardo Costa Vieira

Nenhum comentário: