5 de mai de 2011

FINALMENTE A PAZ


procurei e não achei
o rasto dos dias da inocência
a chama das tardes mornas
as promessas de chuva
e não te vi mais
talvez nunca tenhas existido
ou talvez eu tenha sonhado
os dias agora são calmos
a água corre e purifica
o meu corpo agora renascido
não te procuro mais
deixei o vento levar as folhas mortas
e os jardins parecem mais limpos
vesti-me de branco
levantei os braços e olhei os céus
alguém lá em cima me sorrio
decretou o fim do luto
deixou-me espreitar pelas janelas
para as ruas apinhadas de cheiros e sabores
abriu-me as portas para poder partir
e aqui cheguei finalmente
ao calor do teu colo
deixa-me agora sonhar



Atit Ordep



Foto de Alexandre Grand

2 comentários:

MARILENE disse...

Quando se chega a um colo, depois da difícil travessia, o jeito é mesmo se acomodar e sonhar.
Belas palavras.

Bjs.

Hermenêuticas de Lou disse...

Ferina, embora eu tenha voltado para lhe seguir, ainda tive o prazer da sua visita. Venha quando puder amiga. Abraço e cumprimentos de Lou Moonrise.

Lembra do sininho? Então sou eu. Meu gmail foi kackeado então tive que criar outro para os levianos que me roubaram o gmail que eu usava para o orkut e outras redes, não me achem por enquanto. Beijos amiga

http://hermeneuticasdelou.blogspot.com/