22 de set de 2007

PERDI O RASTO


perdi o rasto
ao sabor dos dias imaginados

perdi o rasto
das memórias inventadas
nas tardes de desassossego
dos planos do futuro
forjado em corpos transpirados

perdi o rasto
de mim
de ti
do calor dos dias
na palma da mão

perdi o rasto
das quimeras douradas
dos anúncios de detergentes
que lavam o corpo e a alma

Atit Ordep

Pintura de PJ Crook

Nenhum comentário: