12 de abr de 2008

CAMINHOS


aguardo sereno
sentado na beira da estrada

tenho de escolher um caminho
uma direcção
um rumo

aguardo
por um sinal
um acontecimento
uma palavra
um fado cantado em dó menor

tenho de consultar
os astros
procurar um conselho
uma orientação

mas acercam-se de mim
as dúvidas
os fantasmas
o medo
a repulsa da alma por este corpo

e se afinal
não há mais caminho?
se o local onde me sento é um limbo
um meio caminho entre os mortos e os vivos
o fim de um ciclo de uma vida?

aguardo sereno
afinal a imobilidade do corpo
é a liberdade da alma

Atit Ordep

2 comentários:

izil disse...

Este realmente merece 10...está lindo, você está cada dia se superando, parabéns.
izil

KarolinaB disse...

Palmas*****realmente belo!