14 de abr de 2008

A VIAGEM DA LOBA

Passeou pela estrada, desertos e águas
Achou tão pouco e nada comprou
Nada de brilhos, ouros ou pratas
O sol caia como se levantava

Foi para a cidade de astros escondidos
Onde o arco-íris era bicolor
Branco nuvem e cinza-lamento
A loba chorava ao ver que o primeiro
Se apagava no horizonte dos homens

E ninguém pegava uma escada
Para subir e consertar o céu
Assim voltou para o seu deserto
Casa grande de teto suspenso

Contava pra si mesma a lenda da viagem
A areia levou seu pranto pra longe
Um monge ouviu e disseminou a mensagem
Que a loba era o tempo dos viventes

(Felina * Karolina B)

Foto: www.thelensflare.com

Um comentário:

izil disse...

Ola Karol
Que bom que retornou no nosso aniversario de um ano de blog, seja bem vinda.
bjs.
izil