20 de abr de 2008

A MAIOR DESILUSÃO


calo-me
aperto o desespero
com toda a força
que ainda me resta
assim fraco, agarro
com as duas mãos
já trémulas
todas as recordações
que não quero guardar
calo-me
para que não oiçam
meus lamentos perdidos
calo-me
pela vergonha
de ter acreditado

escondo a desilusão
com uma gargalhada nervosa
e calo fundo este grito de revolta
que me rebenta as entranhas

Atit Ordep

Um comentário:

KarolinaB disse...

***Palmas. Eu escondo a desilusão com outra ainda maior...Rs. Parabens H.!