21 de jun de 2008

ALMA


Fica contigo,
plenamente só,
quase pó,
tu e teu corpo
frio,
vazio.
Tenho-te a alma
na palma
da minha mão
fechada
encolhida
trancada,
para por,
dispor,
como quiser.
Tenho-te a alma,
roubei,
não devolverei,
não pequei,
é minha,
são minhas
as almas
dos que amo.
.
Suely Ribella ©

Nenhum comentário: