25 de ago de 2008

JAZ FERIDO E MORTO CORAÇÃO (ÚLTIMAS VISÕES DO CORPO)

Meu grito não alcança palavras
Em meu testemunho, escadas
as fotos, os quadros e roupas


Parados no tempo da noite

Ouvindo o berro do quarto
Gemem as paredes brancas


O abajur ilumina o lado

De um quarto abandonado
Meu corpo está deitado

Sim, na penumbra do chão

Bateu, e pela última vez

Jaz Ferido e Morto Coração

(Ferina * Karolina B)

Um comentário:

Juan disse...

¡Bello poema, Izil!

Mujer hermosa
echada
en su cuarto
de bruces
espera
ensimismada
unas manos
que la acaricien
y la transporten
más allá
de las estrellas.

¡Ella es ya una estrella!