6 de nov de 2008

BASTA DE POUCO AMOR


Chegam de meias palavras
Basta de pouco amor
Não quero mais sentimentos mornos
Quero um amor por inteiro

Quero algo quente, ardente.
Um sentimento voraz
Quero algo que me derrube
de quatro, me ame, me devore.

Quero sentir o calor
O quente da paixão
nada de sentimentos mornos.
Nada de meio amor

Quero algo devastador,
que ao meio me rasgue
Quero ser profanada,
Basta de calmaria
Basta de falso amor.
.
*Ferina izil*
Foto MiguelRita

Um comentário:

Juan disse...

Izil

Precioso poema.
Abrasador.
Pasional
Amoroso.

Te invito a leer este post:
http://juananquintana.blogspot.com/

Un abrazo.

Juan Antonio