21 de mar de 2009

SILÊNCIO


o teu silêncio
é feito de barro
duro e tosco
é um artefacto sem graça
inerte e pesado
balança entre o vento
e os muros da vergonha
atormentado e obediente
existe para além do bem e do mal
numa redoma de crendices
anómalas e perversas

Atit Ordep

Foto de Sara Sá

Um comentário:

Mai disse...

Silêncios que são túmulos.

Belo texto. Não conhecia.
Carinho, Izil.

Mai