4 de jun de 2010

FAZ TEMPO


faz tempo
que não te vejo

faz tempo
que não estendo as palavras
no muro das lamentações

faz tempo
que o sabor dos teus beijos
foi esquecido
no voo das aves migratórias

faz tempo
que os teus olhos tinham luz
e o teu sorriso iluminava o mundo

faz tempo
que o meu coração parou
e o canto das serpentes se calou

dá-me um tempo
para morrer com dignidade

Atit Ordep

Foto de Maribel Santos