4 de dez de 2010

SEM SABER


Presa, enjaulada
em sentimentos,
conceitos, preconceitos
Presa no certo e no errado,
nas mentiras nas verdades.
Amarrada sem saber por quê
a vida assim determinou.
Este destino não foi
traçado por mim,
ele formou sozinho
e como marcada a ferro,
para sempre uma escrava me tornei,
sem saída desta vida,
sem saber viver a vida
vou empurrando sem
saborear nem um pouco
as delicias que a vida tem
.
Ferina *izil*

2 comentários:

Blog da Fofa disse...

Eu me encontrei nesse poema. Aliás, acho que muita gente vai se encontrar.É lindo demais. Estou tentando aprender a saborear a vida . Bjos querida

Néia disse...

Oi Izil...
Fui lendo esta poesia e quando cheguei na medade, mesmo sem ler quem postou, sabia que era você. Como sempre, independente de qual endereço esteja, é sempre forte, marcante.
Beijos e voltarei com mais frequência.
Néia Felippe