14 de mar de 2011

FINJO NÃO TE VER


passei por ti
e coloquei a minha máscara distância
fugi de ti
e coloquei o meu passo acelerado… fingido

olhei para trás
pelo canto do olho
e consegui ver todo o universo
no teu rosto indiferente… interessado

falámos no silêncio da passagem
como sempre o fizemos
e trocámos beijos fingidos… desejados

seguimos caminhos diferentes
incertos e insignificantes
e encontramo-nos no fim da estrada
olho nos teus olhos de revés… frontalmente

uma lágrima ressequida
resvala no fingimento da saudade… real

abraço a tua sombra ao virar da esquina
e soletro o teu nome num sussurro doce
sei que ouves este grito… mudo

e no fim deste caminho desencontrado
fica um amor ausente… presente

todo o amor contido explode
aquando da passagem efémera
de uma troca de olhares… desviados



Atit Ordep



Foto de Pedro Cabral

Nenhum comentário: