8 de jul de 2007

AGORA QUE PARTISTE


agora que partiste
reparo que as acácias
continuam a florir
e o movimento perpétuo da vida
continua a subsistir
nada parou no universo
com a tua partida
ninguém morreu de desgosto
nem mesmo eu me lembro
de quem tu eras
porque nunca entendi
as coisas acerca de ti
tua vida foi
uma passagem efémera
por um livro de Darwin
sem tempo de ser
predador ou presa
não sobreviveste à memória
das coisas boas

Atit Ordep

Foto de Alberto Orbegoso

2 comentários:

izil disse...

Otimo seu poema, usei ja para enviar a uma pessoa que o amor se foi..
beijos

izil disse...

São só brincadeiras, jogos, não é real.
Nada sobrevive tão longe.....