8 de jun de 2007

AOS OLHOS DO ABAJUR



Se mais eu bebesse da ilusão

Embriagado agora estaria

Me afundaria em versos bem feitos

Que não traduzem a verdade
Revelariam certa maldade
Em pensar no amor perfeito

Que não existe mas eu respeito

A eterna busca de encontrá-lo

Aonde deixei?

A sobriedade que me bastava
Somente os goles que restavam

No copo de outrem

Me arriscava a beber e não ia além

Penso na vida e na morte

Nessa noite quente

Vigiado pelo abajur

Se penso melhor arrisco ser luz

Para mim mesmo

E iluminar esses sentimentos

Como a lua brilha lá fora

Ah! Como dela estou sedento!

Ferina * Karolina B
foto: "stockxpert"

Nenhum comentário: