14 de fev de 2009

SEM SENTIDO


como dizer o óbvio
quando pareces não entender a luz dos dias
arrasto as palavras
fechadas na arca dos milagres adiados

como falar do choro
quando o sal não temperou as mágoas
invento palavras
para descrever as cores do futuro

como beijar
quando a boca sabe a fel
toco lábios
com os dedos trémulos de pavor

como acabar
quando nada começou
visiono a emoção
do amor inventado nas ondas

como escrever
se as palavras coagulam nos dedos
como inventar-te
sem o mapa do teu corpo

Atit Ordep

Foto de Mico

Nenhum comentário: