12 de abr de 2009

PERMISSÃO


Pelas ruas da vida
encontrei muitos amores
mas assim como achei,
fui perdendo um a um.
Tropecei em teus carinhos,
em teus beijos me enrosquei
Mas livrei-me de você,
pois como uma aranha
que prende sua presa em
teias, assim você me prendeu
Mas me soltei como uma água,
não nasci para ser uma presa
gosto de viver livre, com amor
ou sem amor, o que me importa
é a liberdade de poder usar as
palavras sem ter que pedir
permissão.

.
Ferina*izil*

Um comentário:

Juan disse...

Izil

¡Maravilloso!

El alma libre
pero con amor.

Un abrazo.

Juan Antonio